Papa Francisco lembra: no dia 14 de maio, todos os crentes juntos, crentes de diversas tradições, para rezar, jejuar e fazer obras de caridade; para implorar a Deus que ajude a humanidade a superar a pandemia do coronavírus

Será um dia de oração, jejum e caridade, invocação a Deus Criador pela humanidade atingida pela pandemia. A iniciativa, à qual aderiu o Papa Francisco, é promovida pelo Alto Comité para a Fraternidade Humana.

O Alto Comité para a Fraternidade Humana, presidido pelo cardeal Miguel Angel Ayuso Guixot, exorta os irmãos que creem em Deus Criador a dedicar neste dia 14 de maio um momento de recolhimento, para que o Altíssimo olhe para o mundo que enfrenta o grave perigo da Covid-19 e para que preserve a humanidade, ajude-a a superar a pandemia, restaure a segurança, a estabilidade, a saúde e a prosperidade, e torne o nosso mundo, uma vez eliminada essa pandemia, mais humano e mais fraterno.

Por ocasião da oração do Regina Coeli, no último dia 3 de maio, o Papa Francisco deu o seu apoio à iniciativa, pronunciando estas palavras:

"Sendo a oração um valor universal, acolhi a proposta do Alto Comitê para a Fraternidade Humana para que no próximo dia 14 de maio, os crentes de todas as religiões se unam espiritualmente em um dia de oração e jejum e obras de caridade, para implorar a Deus que ajude a humanidade a superar a pandemia do coronavírus. Lembrem-se: no dia 14 de maio, todos os crentes juntos, crentes de diversas tradições, para rezar, jejuar e fazer obras de caridade".

O Comité foi criado em agosto de 2020, com o objetivo de implementar o Documento sobre a Fraternidade Humana assinado pelo Papa Francisco e pelo Grão Imame de Al-Azhar em 4 de fevereiro de 2019, na capital dos Emirados Árabes Unidos.

  • Visualizações: 279

Contactar

Ou no Cartório presencial:

Igreja Paroquial
de Abraveses
3515-119 VISEU

VER dia e hora
na Folha Dominical
desta semana

Ou através do Cartório on-line ACEDER